Dentre tantos sinônimos para a cerveja, você já deve ter ouvido alguém a chamá-la por “néctar dos Deuses”. O que você talvez ainda não tenha ouvido falar é que a entidade superior da bebida é a Deusa Ninkasi.

A canonização da Ninkasi como Deusa da cerveja não é algo recente e muito menos midiático, na verdade, o Vaticano (responsável pelas canonizações) teria que esperar mais de 1000 anos para ‘nascer’ e mais alguns séculos para tornar alguém santo. Um texto, datado de 1.800 A/C é uma oração, um hino à Ninkasi. Escrito por um poeta sumério e encontrado em uma tabuleta de cerâmica, descreve uma das receitas mais antigas de produção de cerveja.

Ninkasi é a deusa suméria da fabricação de cerveja e da própria cerveja. Considerada a cervejeira dos deuses. Seu nome significa “a senhora que enche a boca”.

Aliás, importante destacar que os primeiros cervejeiros eram mulheres. A produção de cerveja era também uma tarefa doméstica, assim sendo, uma de suas responsabilidades.

Quem foi Ninkasi?

A Deusa da cerveja já veio de uma família importante. Seu pai, Enki, era o Deus das águas doces e tinha a esposa/irmã chamada Ninti, ou Ninhursag, que era a Deus dos Relevos e a Deusa-Mãe do Pantheon sumério.

Ninkasi nasceu da “água fresca cintilante”, foi feita para “saciar o desejo” e “satisfazer o coração”.

Oração à Deusa da cerveja Ninkasi

Nascida da água corrente
Delicadamente cuidada por Ninhursag
Nascida da água corrente
Delicadamente cuidada por Ninhursag


Tendo fundado sua cidade pelo lago sagrado
Ela rematou-a com grandes muralhas por você
Ninkasi, fundando sua cidade pelo lago sagrado
Ela rematou-a com grandes muralhas por você


Seu pai é Enki, Senhor Nidimmud
Sua mãe é Ninti, a rainha do lago sagrado
Ninkasi, seu pai é Enki, Senhor Nidimmud
Sua mãe é Ninti, a rainha do lago sagrado


Você é a única que maneja a massa com uma grande pá
Misturando em um poço o bappir com ervas aromáticas doces
Ninkasi, você é a única que maneja a massa com uma grande pá
Misturando em um poço o bappir com tâmaras ou mel


Você é a única que assa o bappir no grande forno
Coloca em ordem as pilhas de sementes descascadas
Ninkasi, Você é a única que assa o bappir no grande forno
Coloca em ordem as pilhas de sementes descascadas


Você é a única que rega o malte jogado pelo chão
Os cães fidalgos mantém distância, até mesmo os soberanos
Ninkasi, você é a única que rega o malte jogado pelo chão
Os cães fidalgos mantém distância, até mesmo os soberanos


Você é a única que embebe o malte em uma ânfora
As ondas surgem, as ondas caem
Ninkasi, você é a única que embebe o malte em uma ânfora
As ondas surgem, as ondas caem


Você é a única que estica a pasta assada em largas esteiras de palha
A frieza supera
Ninkasi, Você é a única que estica a pasta assada em largas esteiras de palha

A frieza supera

Você é a única que segura com ambas as mãos o magnífico e doce sumo
Fermentando-o com mel e vinho
(Você, o doce sumo para o eleito)
Ninkasi, (…)
(Você, o doce sumo para o eleito)


O barril filtrador, que faz um som agradável
Você ocupa apropriadamente o topo de um grande barril coletor
Ninkasi, o barril filtrador, que faz um som agradável
Você ocupa apropriadamente o topo de um grande barril coletor


Quando você despeja a cerveja filtrada do barril coletor
É como os barulhos dos cursos do Tigres e do Euphrates
Ninkasi, você é a única que despeja a cerveja filtrada do barril coletor
é como os barulhos dos cursos do Tigres e do Euphrates

Fonte: Beer Planet