Poemas, orações, canções e muitas outras manifestações ditadas, quando realizadas com emoção e empenho, conseguem mover multidões que seguem o mesmo caminho e objetivo pelo qual a voz percorreu; saindo pela razão mental de nosso cérebro, passando pela emoção do coração e enfim sendo pronunciada através de nossa garganta para conquistar o mundo e emocionar – de alguma forma – o mundo.

Com os instrumentos, não é diferente, até chegar aos seus ouvidos, o som percorre caminhos complexos no seu interior. É graças às caixas de ressonância, parte oca de violões, violinos ou violoncelos, por exemplo, que as vibrações captadas pelas cordas se transformam em um barulho agradável – e ganham intensidade suficiente para serem ouvidas por pessoas em uma sala.

Pelas lentes do artista romeno Adrian Borda, as fotos dos instrumentos no seu interior ganhou status de paisagem. Vistos por dentro, o interior vazio parece emular salões suntuosos: a entrada de ar iluminada no topo assume ares de claraboias e as veias das madeiras lembram uma espécie de revestimento antigo, pouco frequentado e empoeirado pela ação do tempo.

Essa aparência de templo abandonado que você poderá explorar melhor nas fotos dos instrumentos abaixo é fruto de um trabalhado jogo de luz, e foi conseguida pela combinação de algumas técnicas.

fotos de instrumentos

Borda teve a sorte de contar com um amigo luthier, que tinha aberto um contrabaixo de orquestra para fazer alguns reparos. Aproveitando sua viagem até a cidade de Amiens, na França, ele garantiu o clique. Após fechar a câmera no interior de um violoncelo “da época de Napoleão”, como o próprio autor descreveu, ele produziu a imagem que você vê abaixo.

Além da parafernália de fotógrafo, Borda usou também um celular. De modo remoto, ele podia, assim, acompanhar a imagem do interior da tela e autorizar o disparo da câmera. Em sua página do Deviant Art, o autor revela que sua inspiração veio de uma campanha impressa feita pela orquestra Filarmônica de Berlim, que você pode ver aqui.

Já a foto abaixo, que se assemelha muito a um corredor assombrado, é na verdade o interior de um saxofone. O princípio foi mais ou menos o mesmo: luz para garantir o contraste e destacar as aberturas de passagem de ar do instrumento.

fotos de instrumentos