Pesquisadores afirmam que é a cervejaria mais antiga do mundo, com resíduo de cerveja de 13.000 anos, em uma caverna pré-histórica perto de Haifa, em Israel.

Até pouco tempo, a história de que a fabricação da cerveja tem começado há aproximadamente 5 mil anos, caiu por terra. Isso porque uma recente descoberta em 2018 da ‘cervejaria mais antiga do mundo’ tem provado que sua fabricação tem mais que o dobro do tempo até então calculado.

Cervejaria mais antiga
Arqueólogos procuravam evidências de alimentos vegetais quando descobriram os traços de álcool

Até pouco tempo, a história de que a fabricação da cerveja tem começado há aproximadamente 5 mil anos, caiu por terra. Isso porque em 2018, arqueólogos da Universidade de Stanford encontraram o que aparenta ser a cervejaria mais antiga do mundo, no sítio arqueológico Raqefet Cave, na Montanha do Carmo, localizada na costa de Israel.

Outra história que acaba sendo desconstruída, é o fato da cerveja ter vindo após a fabricação do pão. Logo, a cerveja não é necessariamente um produto secundário da fabricação do alimento.

“Isso representa o registro mais antigo de álcool artificial do mundo”

disse Li Liu, professora da Universidade de Stanford que liderou a equipe de pesquisa, ao Stanford News
Cervejaria mais antiga

A descoberta foi feita enquanto eles estudavam um local de sepultamento para caçadores-coletores semi-nômades.

Liu disse que estava procurando pistas sobre quais alimentos vegetais o povo natufiano – que viveu entre os períodos paleolítico e neolítico – estavam comendo, e durante a pesquisa descobriram os traços de um álcool à base de trigo e cevada.

Comparação com a cerveja atual

Naturalmente que a cerveja teve sua evolução, e se voltássemos no tempo, provavelmente chamaríamos o produto de nossos ancestrais de mingau ou qualquer outra comida parecida.

A equipe de pesquisa conseguiu recriar a bebida antiga para compará-la com o resíduo encontrado.

Isso envolveu a primeira germinação do grão para produzir malte, depois o aquecimento do mosto e a fermentação com levedura selvagem, segundo o estudo.

A bebida antiga era fermentada, mas provavelmente mais fraca que a cerveja moderna.

Até mesmo em sua funcionalidade a cerveja possuía outra razão de ser criada.

LEIA TAMBÉM: Ninkasi, a Deusa da cerveja

A caverna Raqefet, local da descoberta, era na verdade um cemitério sagrado para aquela população – o que indica que álcool poderia ter um papel muito mais espiritual do que festivo na adoração aos mortos. “A produção de cerveja era uma parte integral de rituais e celebrações, um mecanismo social regulatório em sociedades hierárquicas”, afirmou o coatora do estudo, Jiajing Wang. 

Cervejaria mais antiga
Detalhes do local onde foram encontrados os vestígios da produção de cerveja

Já para Li Liu, o encontro inusitado também sugere outro traço cultural da população. “A descoberta indica que fazer álcool não era necessariamente resultado de uma produção agrícola excedente, mas desenvolvida especialmente para necessidades ritualísticas e espirituais”, adicionou. 

Fonte: BBC